terça-feira, 20 de março de 2012

E continua esse vazio aqui.
Nada consegue preencher.
Vendo coisas passarem por mim
E não podendo nada fazer.
O alívio imediato que conseguia
Quando escrevia, não possuo mais.

Parada na frente do caderno com linhas em branco
Assim tem sido minhas tardes.
Há semanas não consigo escrever.
Pensamentos paralisados,
Sonhos confusos,
Desejos abafados,
Imaginação bloqueada.
E o caderno continua branco,
Sem vida,
Sem história.

Batendo a caneta na mesa,
Tentando fazer com que as ideias e sentimentos tomassem forma.
Como se isso fizesse com que eles
Viessem em palavras desenhadas através dela.
Mas a única coisa que consegui
Foi acordar meu irmão que cochilava.

Jessika de Sousa Macêdo.